Vivemos num mundo cada vez mais agitado e stressante, o que impede ou dificulta uma educação mais assertiva por parte dos pais (e avós).

Cada vez mais, somos forçados a trabalhar mais horas o que nos impossibilita passar o tempo que desejaríamos com os nossos filhos e com menos energia para os educar assertivamente. Como se não bastasse, consciente ou inconscientemente, ainda tentamos compensar com prendas o tempo que não passamos com eles.

No entanto, não há nada que compense a nossa ausência e depois ainda acabamos por cometer o erro de exigir ou desculpar comportamentos para os quais não os educamos.

É importante compreender que até aos 3 anos de idade, as crianças têm uma mente “absorvente”, ou seja, fazem a leitura dos gestos, das demonstrações de afeto, da indiferença, mau humor, entre muitos outros comportamentos praticados pelos pais e avós. Após os 3 anos, começam a ter “vontade própria” e a reagir de acordo com o que absorveram.

Portanto, até aos 3 anos a técnica do “olha para o que eu digo, não para o que eu faço”, não resulta, pois a criança não tem capacidade para perceber o seu significado e naturalmente terá sempre maior aptidão para aprender com aquilo que vê.

Neste artigo vão ser partilhadas 12 atitudes que destroem a auto estima das crianças e que são imensamente prejudiciais para a estabilidade emocional.

Para um futuro melhor do seu filho ou neto, evite as seguintes atitudes:

1. Agir de forma incoerente com o seu discurso
Exemplo a evitar: Se diz ao seu filho/neto que não pode pegar no tablet quando estão à mesa, então também não pegue no telemóvel à mesa.

2. Comparar o seu filho com outras crianças
Mesmo que a intenção seja boa, pode gerar sentimentos de frustração.

Exemplo a evitar: “O teu primo já come direito e não suja nada!”



3. Relembrar constantemente os erros da criança
Explicar as coisas erradas que a criança faz é fundamental, no entanto não é indicado relembrá-lo incessantemente.

Exemplo a evitar: “Estás sempre a desarrumar isto!”

4. Elogiar exageradamente
Elogiar exageradamente é prejudicial para o desenvolvimento das crianças. É importante saber estimular de uma forma sincera.

Exemplo a evitar: “Muito bem, brilhante Tomás. Comes-te lindamente a comida toda!”

5. Fazer tudo pela criança
Proteger é importante, no entanto as crianças são capazes de fazer inúmeras tarefas. Se fizer tudo pelas crianças, por um lado elas podem sentir-se inseguras por considerarem que não são capazes de fazer nada e, por outro, ficam mal habituadas e não desenvolvem as suas capacidades.

Exemplos a praticar:
Depois de brincar, ensinar a criança a arrumar os brinquedos.
Ensinar a vestir e a calçar a roupa.



6. Não valorizar os pequenos êxitos
É fundamental incentivar os pequenos êxitos de uma forma sincera e não exagerada.

Exemplo a praticar: “Boa Tomás, comes-te a comida toda para ficares forte!”

7. Exigir mais do que é razoável
Todas a crianças têm o seu ritmo, há que saber respeitá-lo.

Exemplo a evitar: “O teu primo já corre e tu estás sempre sentado!”

8. Não acompanhar o dia a dia da criança



9. Inventar sempre desculpas e fingir que a criança nunca erra
É fundamental que a criança perceba o que é ou não errado e em casos de desafios, caso a criança não consiga atingi-los ou cumpri-los, não deve ser criticada nem julgada, mas também não precisa de inventar sempre desculpas. Devemos orientá-la.

Exemplo a evitar: “Não consegues montar os legos, porque os legos estão todos estragados!”
Exemplo a praticar: “Hoje não conseguimos montar os legos, mas amanhã com mais tempo vamos conseguir!”

10. Prometer e não cumprir

11. Ser displicente em relação a rotinas familiares
Uma rotina familiar é importante para a criança sentir segurança e ganhar noção de responsabilidade.

Exemplo a evitar: Se a hora de jantar é às 20h00, a criança não deve ficar a brincar com o tablet até terminar e só depois reunir com a família.

12. Discutir as frustrações do dia a dia na presença da criança
Não é preciso ocultar os problemas indeterminadamente até mesmo para as crianças perceberem que o mundo não é perfeito e que existem desafios e injustiças, mas principalmente até aos 3 anos de idade deve ser evitado.

Partilhe e ajude os seus amigos a não praticarem estas atitudes!

PARTILHE!

Alerta Saúde

O portal Alerta Saúde tem a missão basilar de zelar e cuidar da Saúde dos portugueses. Através do compromisso de divulgação de conteúdo fidedigno da área da Saúde, como também através da disponibilização aos seus utilizadores dos meios necessários para que acedam de forma célere e intuitiva aos conteúdos pretendidos.