O Cancro Colo-Rectal é dos cancros mais comuns em Portugal e apresenta uma tendência crescente.

Acredita-se que essa tendência deriva, em parte, dos maus hábitos alimentares que as pessoas estão cada vez mais a adoptar.

Atualmente em Portugal, existem cerca de 6000 pessoas com cancro colo-rectal. Por ano, mais de 3000 perdem a luta contra este cancro, são cerca de 10 óbitos por dia.

Como não se conhecem exatamente as causas deste cancro, sem dúvida que a melhor arma para se diminuírem estes números, é através da prevenção.

Estima-se que cerca de 95% dos casos de cancro colo-rectal têm origem em pólipos benignos que evoluem para malignos. Apesar dos pólipos geralmente não provocarem sintomas, podem e devem ser realizados rastreios preventivos aos pólipos (através de uma colonoscopia, por exemplo) para posteriormente serem removidos por polipectomia.

Neste artigo vão ser descritos os grupos e fatores de risco e os sintomas do cancro colo-rectal.

Quais são os Grupos e Fatores de Risco do Cancro Colo-Rectal?

1. Idade

A probabilidade de desenvolver este cancro aumenta com a idade. Por isso, recomenda-se (o mais tardar) fazer uma colonoscopia a partir dos 50 anos.

2. Pólipos colo-rectais

A maior parte dos pólipos é benigna, contudo alguns podem evoluir para malignos. Pessoas que apresentam pólipos colo-rectais têm maior possibilidade de desenvolver este tipo de cancro.

3. Histórico familiar com cancro colo-rectal

As pessoas que têm familiares diretos (pais, irmãos e/ou filhos) que tenham histórico de cancro de colo-rectal têm maior possibilidade de desenvolver este cancro, principalmente se os casos existentes tenham ocorrido enquanto jovens ou jovens adultos.

4. Alterações no gene HNPCC

3 em 4 pessoas que tenham tido alterações no gene HNPCC acabam por desenvolver cancro do cólon.

5. Doença de Crohn ou colite ulcerosa

Pessoas que apresentem doenças que provocam a inflamação do cólon têm maior risco de desenvolver o cancro colo-rectal.



6. Maus hábitos alimentares

Alguns estudos referem que as pessoas que têm uma dieta rica em gorduras (principalmente a gordura animal) e pobre em cálcio, folatos, fibras, fruta e vegetais têm maior probabilidade de desenvolver este cancro.

7. Tabaco

Os fumadores desenvolvem mais facilmente pólipos e cancro colo-rectal.

Se considera que apresenta risco moderado a elevado de desenvolver este cancro, fale com o seu médico. Há vários exames preventivos que pode fazer para efetuar um rastreio eficaz.

Quais os sintomas do Cancro Colo-Rectal?

1. Alterações significativas dos hábitos intestinais

2. Diarreia

3. Prisão de ventre

4. Sensação que o intestino não esvazia depois de defecar

5. Sangue nas fezes

6. Fezes escuras (normalmente indicam presença de sangue nas fezes)

7. Fezes mais pequenas que o habitual

8. Inchaço frequente e dores abdominais

9. Perda de peso inexplicada

10. Cansaço permanente

11. Náuseas e vómitos

Raramente este cancro provoca dores numa fase inicial.

Os sintomas são comuns a outras condições, por conseguinte ter alguns dos sintomas não significa que tenha cancro colo-rectal. De qualquer maneira, se sentir-se mais confortável, fale com o seu médico. A prevenção é a melhor arma.

A pensar na sua saúde, sugerimos:

Sintomas das Doenças Benignas da Mama!

Dor Ciática: Conheça as Causas, Grupos de Risco e os Sintomas!



Partilhe e ajude os seus amigos a saberem identificar quais os grupos de risco e os sintomas do cancro colo-rectal!

PARTILHE!

Alerta Saúde

O portal Alerta Saúde tem a missão basilar de zelar e cuidar da Saúde dos portugueses. Através do compromisso de divulgação de conteúdo fidedigno da área da Saúde, como também através da disponibilização aos seus utilizadores dos meios necessários para que acedam de forma célere e intuitiva aos conteúdos pretendidos.